Blog

Outubro Rosa: Mês de Prevenção ao Câncer de Mama

O que é?

O câncer de mama é uma doença causada pelo desenvolvimento descontrolado das células da mama, esse tumor já é o mais comum entre as mulheres do mundo inteiro, entretanto, pode acometer homens, representando em torno de 1% dos casos.

Existem diversos tipos de câncer de mama, alguns evoluem de maneira rápida, outros não.

Segundo o INCA (Institudo Nacional de Câncer), já foram registrados 66.280 novos casos em 2020.

Fatores de Risco

Dentre os principais fatores de risco estão:

Fatores ambientais e comportamentais

  • Obesidade e sobrepeso após a menopausa;
  • Sedentarismo e falta de atividade física;
  • Consumo de bebida alcoólica;
  • Exposição frequente a radiação e ionizantes (Raio-X).

Fatores da história reprodutiva e hormonal

  • Primeira menstruação antes dos 12 anos;
  • Não ter tido filhos;
  • Primeira gravidez após os 30 anos;
  • Parar de menstruar após os 55 anos;
  • Uso de contraceptivos hormonais (estrogênio-progesterona)
  • Ter realizado reposição hormonal pós-menopausa, principalmente por mais de 5 anos.

Fatores genéticos e hereditários

  • Histórico familiar de câncer de ovário;
  • Casos de câncer de mama na família (especialmente antes dos 50 anos);
  • Histórico familiar de câncer de mama em homens;
  • Alteração genética, principalmente nos genes BRCA1 e BRCA2.

ATENÇÃO: a presença de um ou mais fatores destes apresentados, não significa que necessariamente a mulher terá a doença.

Sintomas

O câncer pode ser percebido logo nas fases iniciais, na maioria dos casos, os sintomas são:

  • Nódulo (caroço) fixo e geralmente indolor: é a principal característica da doença, estando presente em cerca de 90% dos casos no momento em que o câncer é percebido pela própria mulher;
  • Pele da mama avermelhada, retraída, ou com um aspecto semelhante a de uma casca de laranja;
  • Alterações no bico do peito (mamilo);
  • Pequenos nódulos na axila e no pescoço;
  • Saída espontânea de líquido anormal pelos mamilos.

Os sintomas devem ser examinados por um médico para que seja constatado a possibilidade de ser um câncer.

É essencial que as mulheres se sintam confortáveis em observar a sua própria mama em um momento oportuno (banho, na troca de roupa, ou em outra situação do cotidiano) essa autoavaliação é de extrema importância para identificar alterações mamárias.

Caso haja a permanência dessas alterações, procure um médico. Fique atenta a sua saúde, o diagnóstico precoce pode salvar vidas.

Tratamento

Diversos avanços tecnológicos vem ocorrendo nos últimos tempos no tratamento do câncer de mama. Cada vez mais são descobertas novas formas de tratar a doença devido a suas variadas formas de apresentação.

Quando a doença é diagnosticada no começo, as chances de um potencial curativo são maiores, No caso de possuir metástases (quando o câncer já se espalhou pelo corpo) o tratamento objetiva prolongar a sobrevida e melhorar a qualidade de vida.

O tratamento varia de acordo com o estadiamento da doença, levando em consideração também outros fatores como, características biológicas do tumor, idade do paciente, bem como, se já passou ou não pela menopausa, doenças preexistentes e preferências)

As modalidades de tratamento da doença são divididos em:

Tratamento local: cirurgia ou radioterapia

Tratamento sistêmico: quimioterapia, hormonioterapia, e terapia biológica.

Prevenção

Cerca de 30% dos casos dos casos de câncer de mama podem ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis como:

  • Prática de atividade física
  • Alimentação saudável;
  • Manter o peso corporal adequado;
  • Evita o consumo de bebidas alcoólicas;
  • Amamentar;
  • Evitar o uso de hormônios sintéticos.

Saiba mais

INCA (Instituto Nacional de Câncer)